Portugal RMB

WA Delegate: The Portuguese Delegate of Taprobana (elected )

Founder: Platinum bees

BoardPollActivity History Admin Rank

Most World Assembly Endorsements: 34th Most Nations: 148th Most Influential: 299th+2
Greatest Rich-Poor Divides: 1,771st Largest Black Market: 1,857th
World Factbook Entry

Bem-vindo à Região Portugal!

Todos os portugueses, falantes da língua portuguesa e amigos são bem-vindos. Respeitem a comunidade, sem ofensas.

Visita o nosso LinkFórum, onde encontrarás o nosso jogo de estratégia regional.

LinkJogo de estratégia "Hex Map Battle"

LinkLiga Portuguesa de Futebol

Embaixadas/Embassies:
You will find our official Foreign Policy Linkhere. Any embassy request must be posted under "Foreign Affairs" or by telegram. Any questions or doubts, please send a telegram to the Chief Ambassador, Musheena.

Se quiseres sugerir uma ideia para sondagem contacta o nosso Perguntador-Geral da República The Republic of Lusitanialand.

Qualquer dúvida ou questão, não hesites em perguntar à região ou ao Delegado.

Obrigado e bom jogo!



Embassies: Lazarus, Spiritus, The Illuminati, Republic of Hellas, The Western Isles, Modorra, New Western European Union, Poland, United States of America, The Spanish Republic, Peninsula Iberica, Brasil, France, Union Mundial, Free Coalition of Governments, The SOP, and 43 others.Repubblica Italiana, ITALIA, Maritime MAST, Deutschland, Israel, Mr Money Headquarters, The Glorious Nations of Iwaku, Asian Archipelago, Philosophy 115, Free Republic of China, Chinese Republic, Vlaanderen, LCRUA, Equinox, The Bar on the corner of every region, Japan, Union of Free Nations, Westphalia, Principality of Andorra, the Rejected Realms, Suomi, Macao, The Democratic Union of Republics, Bus Stop, TAMM, East of West, Morocco, Free Islands of the Indian Ocean, The Embassy, Australia, Mediterranean League, Philippines, Turkic Union, Mediterranean, Canada, Kingdom Of Austria, belgium, Minoa, The Western Coastal Union of Africa, United States 0f America, ROMANIA OFFICIAL, Portugal de Esquerda, and Singapore.

Tags: Featured, Founderless, Non-English, Regional Government, Neutral, Large, and Democratic.

Regional Power: High

Portugal contains 88 nations, the 148th most in the world.

Today's World Census Report

The Most Avoided in Portugal

Nations ranked highly are considered by many to be the most inhospitable, charmless, and ghastly places to spend a vacation, or, indeed, any time at all.

As a region, Portugal is ranked 5,798th in the world for Most Avoided.

NationWA CategoryMotto
1.The Armed Junta of AsgarnniaCompulsory Consumerist State“Para compreender, destruí-me.”
2.The All Mighty Powerful Lobby of CinoquiaCorporate Police State“To Win, Make Everyone Else Lose!”
3.The URS Puppet of Portugal VermelhoLeft-Leaning College State“URS ”
4.The Oppressed Peoples of XinoquiaCorporate Police State“We Freely Agreed on Give up our Freedom!”
5.The Principality of Terceira IslandInoffensive Centrist Democracy“Leave NATO”
6.The Republic of Portugal LiberalAnarchy“Cria o teu Destino!”
7.The Free Land of Von HayekAnarchy“#VHExit”
8.The Oppressive Commonwealth of BlasiuCapitalizt“Sempre altaneiro.”
9.The Rogue Nation of DO NOT EJECT ME PORRACapitalizt“Https://www.youtube.com/watch?v=nQ_i1j68gyU”
10.The 40% survivors of Alentejo e AlgarveCapitalist Paradise“Ao Sul, ao Sol!”
1234. . .89»

Regional Poll • Votarias para Portugal sair da União Europeia?

Poll called by The Portuguese Delegate of Taprobana

Voting opened 2 days 12 hours ago and will close . Open to WA member residents. You cannot vote as you are not logged in.

Last poll: “Eleição Presidencial de Portugal Digital”

Regional Happenings

More...

Portugal Regional Message Board

Quem é que aqui há umas semanas estava a falar de criar um jogo regional baseado na economia?

Se se lembrarem digam-me para eu trocar umas ideias e ver se dá para adaptar ao hex/rp.

Portugal Digital

The Free Land of Von Hayek sei que já vai tarde mas não deixo de responder às perguntas que fizeste. Eu não tenho problemas com algum aumento das desigualdades desde que diminua a pobreza. Não concordo com o keynesianismo cego e militante de atirar dinheiro à espera que se cresça (prefiro uma descida de impostos) e com a ideia dos serviços públicos serem gratuitos para todos, por exemplo. Se há gente que pode pagar uma parte deve-o fazer, para não se estar a desperdiçar dinheiro que devia beneficiar quem mais precisa. Em conclusão, não sou socialista.

Os problemas não costumam ser tão simples como os costumas abordar. Neste texto fala mais na perspectiva de uma empresa mas em grande parte aplica-se à governação de um Estado.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Descentraliza%C3%A7%C3%A3o_e_centraliza%C3%A7%C3%A3o_organizacional

A descentralização pode ter muitos benefícios como uma maior autonomia, agilidade nas decisões e competição entre unidades, entre outros. No entanto, pode causar problemas de desperdício e duplicação de serviços. Assim, para mim é errado achar que quanto mais descentralização melhor. E não te esqueças que eu sou a favor da regionalização.

Sobre a democracia directa, eu não sou contra a aproximação das decisões às pessoas mas, tal como na questão da descentralização, vejo demasiada gente a ver a democracia directa simplista como um objectivo a atingir, sem pensar nas complicações tanto em termos de eficiência como da própria democracia. Uma freguesia iria gerir melhor um hospital, planear a construção de uma ponte? As pessoas a votar em todas as decisões, a andar a estudar todos os assuntos para votar de braço no ar? Na defesa de democracias directas consigo por vezes identificar algum individualismo excessivo ou até egoísmo na ideia de achar que quem está longe não tem o direito de influenciar a minha vidinha. Além de toda a confusão, a democracia directa também iria reforçar a pobreza e as desigualdades entre regiões. A democracia funciona melhor quando está adequada até ao nível máximo em que as pessoas se reconhecem como fazendo parte da mesma comunidade, ou seja, aceitam que o voto do vizinho influencie todas as decisões acerca do bem comum.

Patraolandia and Von Hayek

The ZFG of Patraolandia wrote:So mesmo tu, para inventar que a má gestão bancária e o casino que se chama bolsa são culpa dos Esquerdistas. A fome em África é culpa dos regimes ditatoriais, da corrupção que não é só de esquerda. Fodasse pareces o Lusofonia a por a culpa de tudo no mundo na esquerda. Caramba, tenho a certeza que sabes bem que não é assim.

Tu quiseste pôr palavras na minha boca, eu decidi responder-te com o mesmo nível de trollanço! xD

Mas se andasses a ler o RMB, irias ver que até à malta que pensa mais como eu (Partido Liberal) , eu chamei "esquerda", e justifiquei com argumentos válidos porque o fazia. De maneira que estaria certo em dizer que a culpa dos males do Mundo é da "esquerda", já que pela definição que dei de "esquerda" é tudo o que é a favor do intervencionismo, que é a base actual da governação (governação = intervenção económica = desrespeito pela propriedade privada (ou propriedade individual para os Anarco-Sindicalistas que nos seguem)).

O que quis dizer, que depois exageraste, é que na minha perspectiva se sairmos da União Europeia iríamos andar ainda mais desgovernados economicamente até não haver dinheiro, ir retirando ainda mais poder de compra à população, criando monopólios estatais para resolver os problemas da economia e afastar o investimento em Portugal, seja pela via burocrática, seja pelo roubo via impostos que seria aplicado. Para sair da União Europeia que é burocrática e regulamentosa, para um estado igual mas ainda mais despesista e interesseiro, deixa estar...

The Republic of Lusitanialand wrote:The Free Land of Von Hayek sei que já vai tarde mas não deixo de responder às perguntas que fizeste. Eu não tenho problemas com algum aumento das desigualdades desde que diminua a pobreza. Não concordo com o keynesianismo cego e militante de atirar dinheiro à espera que se cresça (prefiro uma descida de impostos) e com a ideia dos serviços públicos serem gratuitos para todos, por exemplo. Se há gente que pode pagar uma parte deve-o fazer, para não se estar a desperdiçar dinheiro que devia beneficiar quem mais precisa. Em conclusão, não sou socialista.
Os problemas não costumam ser tão simples como os costumas abordar. Neste texto fala mais na perspectiva de uma empresa mas em grande parte aplica-se à governação de um Estado.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Descentraliza%C3%A7%C3%A3o_e_centraliza%C3%A7%C3%A3o_organizacional
A descentralização pode ter muitos benefícios como uma maior autonomia, agilidade nas decisões e competição entre unidades, entre outros. No entanto, pode causar problemas de desperdício e duplicação de serviços. Assim, para mim é errado achar que quanto mais descentralização melhor. E não te esqueças que eu sou a favor da regionalização.
Sobre a democracia directa, eu não sou contra a aproximação das decisões às pessoas mas, tal como na questão da descentralização, vejo demasiada gente a ver a democracia directa simplista como um objectivo a atingir, sem pensar nas complicações tanto em termos de eficiência como da própria democracia. Uma freguesia iria gerir melhor um hospital, planear a construção de uma ponte? As pessoas a votar em todas as decisões, a andar a estudar todos os assuntos para votar de braço no ar? Na defesa de democracias directas consigo por vezes identificar algum individualismo excessivo ou até egoísmo na ideia de achar que quem está longe não tem o direito de influenciar a minha vidinha. Além de toda a confusão, a democracia directa também iria reforçar a pobreza e as desigualdades entre regiões. A democracia funciona melhor quando está adequada até ao nível máximo em que as pessoas se reconhecem como fazendo parte da mesma comunidade, ou seja, aceitam que o voto do vizinho influencie todas as decisões acerca do bem comum.


Eu percebi perfeitamente o teu ponto e compreendo o teu ponto de vista, que já foi o meu (embora não seja comparável que na altura não tinha informação nenhuma sobre nada, nem na realidade a queria procurar... Era mais instintivo que algo pensado, por isso a comparação não vale grande coisa... Apenas que consigo compreender o ponto inicial).

O artigo da Wikipedia não está grande coisa (em Inglês deve estar mais composto), mas acho que percebi o que querias dizer.
Apesar disso discordo porque acho que estás a misturar regras, posição estratégica e serviços.

Se os princípios (regras) forem os mesmos, pelo que a posição estratégica a ser tomada não deveria variar muito, e onde variasse seria provavelmente porque um conjunto de especificidades faria sentido , não há razão nenhuma para que a duplicação de serviços existisse. O problema da duplicação de serviços é quando ela existe em regime de monopólio. Se só pudesse haver um serviço, municipal ou coisa que o valha, pois realmente iria dar asneira concerteza! Mas mais uma vez isso aconteceria porque se estaria a limitar o livre mercado (choque xD). Se economicamente fizer mais sentido serviços maiores, então os serviços maiores serão a norma. Se não fizer sentido, então os serviços mais localizados serão a norma. Porque teria de haver limitação de serviços à gestão municipal? As empresas transnacionais gerem os seus serviços a nível transnacional, adequando-se às regras de cada zona e não vejo porque caso Portugal fosse dividido em centenas de regiões autónomas isso teria de ser diferente.

O meu problema com a noção de que ter de aceitar o voto do meu vizinho é que esse voto dá-lhe o direito de agredir a minha propriedade privada, e não me parece que ele deva ter esse direito. A política, a meu ver, deveria concentrar-se nas regras que todos devemos seguir enquanto princípios éticos e não tanto em legislação sobre onde é que num lar deve estar posicionado o frigorífico, ou qual o formato das bananas que podem ser vendidas...
Nota: Não disse que tu achavas que a política se devia concentrar nestes temas do frigorífico ou outros. Mas o resultado final de aceitar dar esse poder ao meu vizinho, acaba por ser esse.

Lusitanialand

The Free Land of Von Hayek wrote:Eu até podia refutar o que disseste utilizando as falácias que usaste, mas vou tomar o caminho de fazer minhas as tuas palavras.
Sim, a crise foi feita pelos esquerdistas. Ao dar incentivos económicos para que os bancos emprestassem dinheiro a quem claramente não poderia pagar de volta, começou a gerar a bolha. Como é que isso foi conseguido? Porque os corruptos foram corrompidos desregulamentando apenas metade, permitindo que os gestores ganhassem milhões em comissões sem ser preciso que o banco realmente conseguisse ter o retorno económico. Assim os políticos arranjavam casas para todos "sem custos" e os banqueiros ganhavam milhões a dar cabo dos seus bancos. A isto se chama intervencionismo económico, e o "sem custos" ficaram depois à vista.
Sim, a fome em África é culpa dos esquerdistas. Tivessem os esquerdistas feito jus ao que a sua teoria dizia, e não tinham arranjado ainda mais conflitos à maneira imperialista. Só aí teria sido evitada muita morte. Para além de que o que não falta em África é intervencionismo económico. "Ao que eu puder deitar a mão deito" - Qualquer ditador Africano. ou seja, imposição de um imposto de 100% a toda a riqueza que o indivíduo possuir (muitas vezes, incluindo escravidão e morte). Uma nacionalização do indivíduo.
Sim, se a tua sanita entupiu e tu és esquerdista, então a culpa é dos esquerdistas. Tua, mais concretamente.
xD Falando (mais) seriamente agora, em vez de debatermos enquanto cidadãos Portugueses como é que vamos criar mais riqueza para nós e para os futuros Portugueses, andamos aqui apenas e só a navegar à vista e a dar mais dinheiro a grupos de interesse que normalmente impedem essa mesma criação de riqueza. Como diz o The Republic of Lusitanialand, nós precisamos é de investimento neste momento, e só ouvi o Costa falar nisso falando de investimento de curta duração e sem contexto (Horizonte 2020).
Hás-de-me explicar onde é que a malta do Norte da Europa se acha neocolonialista em relação ao Sul... É por quererem que deixem de gastar o dinheiro que eles se abstiveram de consumir e por isso pouparam? Para que uns quantos ladrões e corruptos sejam eleitos por cá, distribuindo aos amigos e afins, dinheiro roubado a pagadores de impostos do Norte da Europa? É essa a atitude neocolonialista? Se for, acho que os Africanos e Brasileiros iriam preferir o neocolonialismo deles ao nosso colonialismo...

Nao vamos conseguir concordar, a partir do momento em que eu defendo que o estado deve intervir para regular a economia e proteger os mais fracos e tu és contra qualquer intervenção estatal. Quanto á UE, histórias como as das sanções, as declarações do palhaço do rodinhas alemão, os bitaites da merkel, do Juncker, do outro holandês. Pá fodam-se. A gente paga quando puder. Não vamos dar cabo do país, e deixar as pessoas na miséria para pagar juros da dívida.

Von Hayek

É engraçado como os media nao falaram da cagada da Albuquerque na CGD.

The ZFG of Patraolandia wrote:Nao vamos conseguir concordar, a partir do momento em que eu defendo que o estado deve intervir para regular a economia e proteger os mais fracos e tu és contra qualquer intervenção estatal. Quanto á UE, histórias como as das sanções, as declarações do palhaço do rodinhas alemão, os bitaites da merkel, do Juncker, do outro holandês. Pá fodam-se. A gente paga quando puder. Não vamos dar cabo do país, e deixar as pessoas na miséria para pagar juros da dívida.

Pois claro que não vamos concordar. Do meu ponto de vista a discriminação jurídica não devia ser permitida já que considero que todos deveríamos ser iguais perante a lei. Do teu ponto de vista isso é um pormenor e até achas bem forçar outros indivíduos a dar poder sobre a sua vida a políticos, que regra geral, são gente que busca ter mais poder sobre a sua vida e a dos outros, bastando para isso que eles digam que vão ajudar os que eles considerarem com o mais fracos (em Portugal, regra geral, devem ser os mais bem conectados politicamente e "grandes industriais" que recebem subsídios, benesses e negócios estatais que apenas a eles são permitidos).
Permite que uma pessoa arranje trabalho, poupe e faça pela sua vida sem ter de ficar subsídiodependente para ter uma vida decente, sem ter de pagar pelo menos 1/3 do ordenado em impostos com o o IVA e outros e ajudas mais essas pessoas do que dares poderes a essa corja.
Nota: Não pagues o que deves e vai-lhes pedir dinheiro a seguir, ou então corta os 15.000.000e que a Troika queria cortar para gastares apenas o que recebes em impostos. Não gostas da Troika mas já a queres ir chamar outra vez...

The ZFG of Patraolandia wrote:É engraçado como os media nao falaram da cagada da Albuquerque na CGD.

Que cagada foi essa? Não estou por dentro dessas histórias!

http://www.jn.pt/economia/interior/maria-luis-diz-desconhecer-relatorio-do-tribunal-de-contas-5537545.html

The Free Land of Von Hayek

Von Hayek

Parece que um dos meus maiores receios é verdade. A Rússia fez o Trampa ganhar. Demissão!

Forum View

by Max Barry

Latest Forum Topics